No comício de encerramento da campanha dos socialistas para as eleições europeias de domingo, na Praça do Município, em Lisboa, o presidente da Câmara da capital procurou expor a tese de que o PS "é o único partido "verdadeiramente comprometido com o projeto europeu".

Fernando Medina começou por referir que o cabeça de lista europeu do CDS-PP, Nuno Melo, "com a cobertura" da sua presidente, Assunção Cristas, admitiu que o partido espanhol Vox, de extrema-direita e anti-imigração, possa mais tarde integrar o Partido Popular Europeu.

"O CDS iniciou esta campanha a legitimar aqueles que têm um discurso nacionalista, anti-imigração - valores que nós não queremos", apontou.

A seguir, Fernando Medina, membro do Secretariado Nacional do PS, referiu-se à recente participação do ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho numa ação de campanha do PSD em Cascais.

"A austeridade que vivemos em Portugal e na União Europeia é fruto de uma visão do egoísmo de cada um por si e do nacionalismo. A austeridade de Passos Coelho é uma expressão direta daquilo que minou o projeto europeu", criticou.

Em relação às forças à esquerda do PS, o presidente da Câmara de Lisboa alegou que "salvar o projeto europeu dificilmente se faz com os partidos eurocéticos".

"A verdade é que o euroceticismo à esquerda também assenta numa proteção de fronteiras, numa diminuição da solidariedade entre Estados a nível Europeu. Temos muitas convergências à nossa esquerda, mas há uma área em que temos uma grande divergência: O projeto europeu", acrescentou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.