"Devido ao agravamento das condições meteorológicas deste fim de semana, somos forçados a cancelar a programação do Festival Utopia para este fim de semana", lê-se na nota enviada às redações.

O distrito de Lisboa é um dos 15 de Portugal continental que estão neste fim de semana sob aviso amarelo (o segundo menos grave de uma escala de quatro) devido à chuva.

O primeiro Festival Utopia era composto por diversas atividades, como concertos, debates, sessões de DJ, arte urbana e uma edição especial do programa “Governo-Sombra”, e ia decorrer entre sexta-feira e domingo no jardim da Amnistia Internacional, em defesa do jornalismo.

O Sindicato dos Jornalistas tinha indicado que o objetivo do festival, que o aliou, juntamente com a Casa da Imprensa e o Clube dos Jornalistas, à Átomo – Cooperativa Cultural e Social e à junta de freguesia de Campolide, era a angariação de fundos para a realização do IV Congresso dos Jornalistas, em janeiro do próximo ano, quase duas décadas depois do último.

Sob o lema "Pela dignificação do Jornalismo", o Festival Utopia queria "juntar jornalistas e cidadãos na defesa da causa do jornalismo, que tem como missão servir os cidadãos e contribuir para o bem-estar social", conforme tinha realçado a organização.

"As causas só se perdem quando desistimos delas. E porque, como dizia Eduardo Galeano, 'a utopia serve para que não deixemos de caminhar', procuraremos encarar o sucedido como um acidente de percurso nessa caminhada de que não queremos desistir", salientou hoje a organização.

E acrescentou: "O nosso sincero agradecimento a todos quantos acreditaram e estiveram connosco, e connosco continuaram, apesar de todas as contrariedades que a organização deste evento foi enfrentando ao longo de todo o processo de concretização desta ideia e deste ideal".

Esta iniciativa, além dos debates, contava com várias atuações de artistas, como João Afonso, Samuel, Jorge Rivotti, António Manuel Ribeiro e os UHF, Dj Filipe Pedro, Dj Fernando Alvim, António Macedo, Helena Sarmento, João Lima, António Portanet, Sebastião Antunes, Osso Vaidoso, Dj Cláudia Marques Santos, Dj Luís Varatojo, Dj Nuno Lopes, Janita Salomé, Filipe Raposo, Ela Vaz, Quiné Teles, Andarilho 2.0, Eládio Clímaco.

Também haveria uma série de debates em que participariam jornalistas e outros profissionais como Helena Garrido, Sandra Monteiro, José Vitor Malheiros, Christiana Martins, Ana Luisa Rodrigues, Paulo Pena, Tiago Carrasco, Paula Cordeiro, Mário Cruz, Sandra Felgueiras, Micael Pereira e João Palmeiro.

"Continuamos empenhados na defesa da liberdade, na defesa de uma democracia mais forte. E na dignificação do jornalismo, pilar essencial do Estado de direito. Isso não pode ser uma utopia", vincou a organização.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.