Nicolás Maduro, presidente venezuelano, fala da "imortalidade dos que lutaram toda a vida" e enaltece o papel de Fidel na sua conta pessoal.

O antigo líder soviético Mikhail Gorbachev saudou hoje Fidel Castro, o ícone socialista cubano que chegou aos 90 anos para "fortalecer" a sua nação insular.

"Fidel levantou-se e fortaleceu o seu país durante o mais severo bloqueio norte-americano, quando houve uma pressão colossal sobre si e ainda assim levou o seu país para fora deste bloqueio, num caminho de desenvolvimento independente", disse Gorbachev, citado pela agência de notícias Interfax.

Vladimir Putin também prestou homenagem a Fidel Castro como o "símbolo de uma era" e "amigo sincero da Rússia", informou o Kremlin, em comunicado após anúncio da morte do líder cubano.

"O nome deste distinto homem de Estado é, com razão, considerado o símbolo de uma era na história mundial contemporânea", escreveu Putin num telegrama enviado ao presidente cubano Raúl Castro e citado pelo Kremlin.

"Fidel Castro foi um amigo da Rússia, sincero e confiável", acrescentou.

O presidente francês François Hollande deixou igualmente as suas palavras de pesar após terem começado a circular as primeiras notícias da morte do líder cubano.

"Fidel Castro encarnou a revolução cubana. Primeiro pelas esperanças que criou e depois nas desilusões que provocou", declarou Hollande em comunicado. "Ator da Guerra Fria (...), soube representar para os cubanos o orgulho da recusa do domínio externo".

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, destacou hoje os avanços registados em Cuba durante o governo de Fidel Castro e fez votos para que a ilha "continue a avançar no caminho das reformas e em direção a uma maior prosperidade".

"Neste momento de luto nacional, ofereço ao povo da ilha o apoio firme das Nações Unidas para continuar a trabalhar juntos", disse Ban numa declaração feita no Turquemenistão, onde se encontra em visita oficial, e divulgada pelo gabinete de imprensa da ONU.

Na declaração, o secretário-geral da ONU enviou as suas "sinceras condolências" ao povo de Cuba e à família de Fidel Castro, "particularmente ao presidente Raúl Castro".

Xi Jinping, presidente da China comentou e deixou palavras de afeto para um Fidel Castro "viverá eternamente".

"O povo chinês perdeu um camarada bom e sincero", afirmou Xi. "O camarada Castro viverá eternamente", acrescentou o presidente chinês, que também é secretário-geral do Partido Comunista Chinês.

A Fundação Nelson Mandela já reagiu na sua conta oficial do Twitter e enviou a as condolências ao povo e ao governo Cubano.

O líder mexicano também reagiu, salientado a amizade de Castro para com o México e  lembrando que este promoveu o "respeito, diálogo e solidariedade" nas relações bilaterais entre os dois países.

O político paquistanês, Imran Khan assinalou Castro como sendo um líder revolucionário icónico que fez frente aos Estados Unidos.

Narendra Modi, primeiro-Ministro da Índia, escreveu que Fidel Castro era uma "das personalidades mais icónicas do século XX" e que o país está de luto pela perda de um "grande amigo".

Mariano Rajoy expressou sentimentos similares aos de Modi, oferecendo as suas condolências ao governo e autoridades cubanas pela morte do antigo presidente, uma "figura de significância história".

O Partido Comunista de Cuba, como seria de esperar, também aproveitou o momento para prestar o seu tributo a Fidel Castro e ao seu companheiro de revolução, Che Guevara, criando uma hashtag com a famosa saudação, #HastaLaVictoriaSiempreFidel.

Rafael Correa, Presidente do Equador prestou igualmente o seu tributo ao histórico líder cubano. "Um grande partiu. Fidel Morreu", escreveu na sua conta pessoal.

No Twitter a notícia espalhou-se rapidamente um pouco por todo o globo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.