“Na sequência da sua condenação do ataque em curso da Rússia à Ucrânia, o Fórum cumpre as sanções internacionais em evolução”, disseram os organizadores do evento conhecido como Fórum de Davos à AFP num e-mail, confirmando um relatório do sítio web norte-americano Político.

“Como resultado, o fórum está a congelar todas as relações com entidades russas e não se envolverá com quaisquer indivíduos ou instituições sancionadas”, “incluindo” para a cimeira anual, acrescentaram os organizadores.

O fórum reúne todos os anos a elite política, económica e diplomática do mundo na estância alpina de Davos.

“Os dias do champanhe e do caviar em Davos acabaram. Ou, pelo menos, caviar”, ironizou o site de notícias Político, conhecido pelo seu tom mordaz.

Vladimir Putin e Dmitry Medvedev falaram cinco vezes em Davos desde 2007, afirmou o site norte-americano Político, recordando que o atual Presidente russo também tinha sido convidado em 2015 depois da invasão da Crimeia, mas que tinha optado por não ir.

O fundador do fórum de Davos, Klaus Schwab, disse na altura que esperava que o evento servisse para “construir pontes” entre as diferentes partes no então emergente conflito na Ucrânia.

Em 2021, Vladimir Putin falou virtualmente em Davos, quando o fórum foi cancelado devido à pandemia da covid-19 e substituído por uma edição virtual.

Putin falou em particular da extensão do acordo New Start para limitar os arsenais nucleares russos e norte-americanos, congratulando-se com a extensão do tratado no dia seguinte à conclusão de um acordo in extremis.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.