A operação decorreu em conjunto com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), na área integrada do Parque Natural da Ria Formosa, no âmbito de uma fiscalização de controlo da pesca e de proteção dos recursos marinhos na costa algarvia.

O diretor regional do Algarve do ICNF, Castelão Rodrigues, disse à agência Lusa que a fiscalização “permitiu detetar várias infrações praticadas por pescadores, bem como apreender artes de pesca ilegais utilizadas para a captura de pescado e crustáceos”.

Segundo o responsável no Algarve do ICNF, durante a operação foram levantados 13 autos de notícia de contraordenação, por apanha de amêijoa e de berbigão em zonas interditadas, pesca lúdica ilegal, fuga de venda de pescado em lota, redes de pesca sem identificação, utilização de utensílios ilegais na pesca de arrasto e covos proibidos (armadilhas para apanha de polvo).

Castelão Rodrigues disse ainda que foram igualmente apreendidas diversas artes ilegais de pesca e outras que se encontravam abandonadas na Ria Formosa.

“Trata-se de uma ação de fiscalização realizada numa zona sensível da costa algarvia, no sentido de detetar e controlar a atividade pesqueira ilegal e de proteger os recursos marinhos”, destacou.

Na operação estiveram envolvidos 12 militares da GNR e nove vigilantes da natureza do ICNF, apoiados por quatro embarcações e seis viaturas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.