"Não vamos pedir às empresas para fazerem listas, nomearem ou identificarem os trabalhadores estrangeiros", afirmou na rádio BBC o ministro da Defesa, Michael Fallon, acrescentando que o projeto foi "mal interpretado".

Fallon referiu que as empresas podem, "simplesmente, indicar os números".

A iniciativa, destinada a levar as empresas a privilegiarem os trabalhadores nacionais, foi apresentada na quarta-feira no congresso anual do Partido Conservador, em Birmingham, pela ministra do Interior, Amber Rudd, e suscitou de imediato vivas críticas.

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, acusou os conservadores de avivarem a "xenofobia" e a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, considerou que a "visão de Theresa May (chefe do governo britânico) do Reino Unido do 'Brexit' é repugnante".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.