Conforme detalhado num comunicado da Guarda Civil da província de Cádiz (sul), o casal conquistou a confiança dos dois idosos para roubar os seus bens.

Na "casa dos horrores", os agentes encontraram os idosos - um alemão e uma holandesa - em "péssimas condições", trancados em quartos separados, drogados e alimentados por sonda nasogástrica.

Uma vez resgatados, os dois idosos, cuja idade é desconhecida, foram levados para um centro médico, onde a sua saúde melhorou significativamente.

Para além do casal suspeito, a Guarda Civil espanhola teve mais quatro pessoas e investigou outras nove, no âmbito da operação TEYDEA, refere o canal de televisão RTVE. Ao todo, o grupo terá roubado mais de 1,8 milhões de euros a cinco vítimas ao longo de quatro anos.

A investigação foi iniciada depois da polícia alemã ter entrado em contacto com as autoridades espanholas a respeito do paradeiro de uma mulher rica de 101 anos, chamada Maria Babes. As suspeitas adensaram-se quanto ao estado da idosa quando esta deixou de dar notícias quando se mudou para Tenerife, cidade nas Ilhas Canárias, onde passou a viver sozinha.

A Guarda Civil encontrou-a num asilo de idosos na localidade de Chiclana de la Frontera, onde havia chegado com problemas de saúde, depois de ter passado por vários hospitais. Babes explicou às autoridades que o casal se aproximara dela em Tenerife. Os dois ganharam a sua confiança e instalaram-na na província de Cádiz, numa casa onde ficou trancada por vários meses e até amarrada.

"Em outubro, tinha um saldo de mais de 162.000 euros [na sua conta bancária], e após o aparecimento do casal, em meados de dezembro, passou a ter apenas cerca de 300 euros, além de vender a sua casa em Tenerife e não receber um euro da venda", explicou a Guarda Civil. Os agentes descobriram também que Babes assinou mais do que um documento enquanto estava internada em estado grave num hospital, concedendo poder absoluto aos seus supostos cuidadores e nomeando os seus herdeiros.

Pouco antes de a Guarda Civil conseguir prender o casal, a dupla foi procurar Babes ao asilo e levou-a a passear. Cinco horas depois a idosa morreu, o que consta como uma reviravolta surpreendente, já que "na manhã da sua morte [a senhora] apareceu num vídeo em perfeito estado de saúde". O casal também insistiu em cremá-la com urgência, para que não houvesse necrópsia.

Finalmente, a Guarda Civil conseguiu deter o casal, revistou a sua casa e descobriu que nas proximidades alugava um chalê, onde estavam as duas outras vítimas.

A Guarda Civil identificou quatro outras pessoas que foram "cuidadas" pelos dois suspeitos e que morreram "de maneira suspeita depois do casal ter obtido todo o seu capital". Este terá sido branqueado através de diversos canais, como a construção de um complexo turístico na praia de El Palmar através de documentação falsificada e financiado o empreendimento com uma empresa de fachada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.