Esta reunião dos conselheiros nacionais liberais – que desta vez vai decorrer em Lisboa e não em Coimbra como habitualmente – já estava marcada antes da crise política que começou esta terça-feira com a demissão do primeiro-ministro, António Costa, tendo à sua ordem de trabalhos sido acrescentado um ponto sobre a situação política nacional devido aos acontecimentos desta semana.

Da agenda deste Conselho Nacional da IL, cuja intervenção inicial do líder liberal, Rui Rocha, será aberta à comunicação social, faz ainda parte a Convenção Nacional não eletiva marcada para início de dezembro e as eleições europeias do próximo ano.

Questionada pela agência Lusa sobre a possibilidade de adiar esta Convenção Nacional devido ao novo quadro político, fonte oficial da IL explicou que “o panorama político no país alterou-se subitamente e significativamente e este domingo o Conselho Nacional da Iniciativa Liberal reúne-se para discutir e avaliar a situação política nacional e para discutir a Convenção Nacional”.

“A Iniciativa Liberal está preparada e totalmente focada nas eleições que se avizinham, um momento crucial para definir em que país queremos viver”, acrescentou apenas, sem esclarecer o que poderá ser feito em relação à Convenção Nacional.

A IL tem marcado para 01, 02 e 03 de dezembro, no Europarque, em Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro, uma Convenção Nacional que, não sendo eletiva, vai discutir e votar as propostas de alteração aos estatutos, bem como o programa político da IL.

Nesta reunião magna estarão dois projetos globais de alteração aos estatutos em discussão e votação.

Um deles foi aprovado pelo Conselho Nacional na sequência da proposta do Grupo de Trabalho Estatutário e, um outro, foi proposto pela iniciativa “Estatutos + liberais” que tem entre os porta-vozes o antigo candidato às eleições presidenciais apoiado pela IL, Tiago Mayan Gonçalves, e o primeiro presidente liberal, Miguel Ferreira da Silva, que na última convenção apoiaram a deputada Carla Castro para a liderança da IL.

As eleições europeias também estarão em discussão no domingo depois de, em 28 de outubro, o líder da IL, Rui Rocha, ter assegurado que o processo interno para a escolha do cabeça de lista às eleições europeias de 2024 ainda decorre, limitando-se a registar a “disponibilidade demonstrada” por João Cotrim de Figueiredo.

“Estamos a ouvir o partido e oportunamente teremos excelentes notícias para os liberais, com um excelente cabeça de lista, mas temos de manter todo este caminho que é fundamental para que, cumpridos todos os processo, tenhamos um excelente candidato para apresentar”, disse Rui Rocha.

Em entrevista ao Observador na véspera, o antigo presidente João Cotrim de Figueiredo tinha mostrado disponibilidade para encabeçar a lista às europeias, deixando claro que era “uma decisão do partido”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.