Os geckos da ilha Christmas (Lepidodactylus listeri) e o lagarto-de-cauda-azul (Cryptoblepharus egeriae) foram removidos da lista de espécies "em perigo crítico" para serem incluídos na de espécies "extintas em estado selvagem" da lista vermelha da IUCN.

Existem populações cativas de geckos e de lagartos-de-cauda-azul, graças a programas de conservação, mas um programa similar para conservar o lagarto da ilha Christmas, Emoia nativitatis, fracassou em 2013, e a espécie desapareceu completamente, lembrou a UICN.

A razão do desaparecimento das espécies é "um enigma" até momento, segundo o professor John Zichy-Woinarski, do Departamento de Biologia da Universidade Charles-Darwin, situada em Darwin (norte da Austrália), citado num comunicado da IUCN.

Desde os anos 1970, a população de répteis da ilha Christmas declinou fortemente, segundo a IUCN.

Os investigadores suspeitam de que uma serpente predadora introduzida na ilha em meados dos anos 1980, uma doença e as mudanças no ecossistema local vinculados à irrupção da formiga invasora Anoplolepis gracilipes, conhecida como "a formiga louca", tenham acelerado a queda da população destes répteis, embora não estejam certos de que essa seja a explicação.

No comunicado divulgado, a organização também alertou sobre um marsupial da Austrália, o Pseudocheirus peregrinus, que entrou na lista vermelha de "vulnerável" para espécie "em perigo crítico".

A população desta espécie caiu 80% nos últimos dez anos, devido ao aquecimento global e à seca, segundo a IUCN.

A atualização completa da lista vermelha da IUCN deve ser apresentada esta terça em Tóquio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.