"Foram identificadas as pessoas e foram recolhidas as provas. O processo foi concluído na sexta-feira e foi entregue ao Ministério Público de Aveiro e agora segue os trâmites legais. Julgo que vai haver uma investigação deste processo porque há uma morte", disse o comandante Carlos Isabel.

O mesmo responsável adiantou ainda que as buscas para encontrar a mulher, que foi arrastada quinta-feira pelo mar, na praia da Costa Nova, em Ílhavo, foram retomadas esta manhã, apenas com os meios motorizados da Polícia Marítima.

"Os meios apeados já foram desmobilizados e hoje temos apenas quatro viaturas todo-o-terreno. Fizemos uma passagem na praia logo aos primeiros alvores e vamos voltar na baixa-mar. Depois, consoante o serviço de fiscalização, vamos gerindo os meios", adiantou.

Desde as 19:45 de quinta-feira, dezenas de elementos da Polícia Marítima, Capitania e Bombeiros de Ílhavo, têm procurado ao longo de vários quilómetros da praia a mulher, mas sem sucesso. A operação contou ainda com o apoio de um helicóptero da Força Aérea e da Corveta NRP António Lemos.

O incidente ocorreu junto ao segundo esporão da praia da Costa Nova, em Ílhavo.

A mulher desaparecida fazia parte de um grupo de dez pessoas oriundas de Tondela (Viseu) que se encontravam no areal, alegadamente a participar num ritual à deusa Iemanjá, quando foram apanhadas por uma onda. Quatro delas foram arrastadas para o mar, mas só três conseguiram sair da água pelo próprio pé.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.