O suspeito foi detido por alegadamente ter ateado um incêndio florestal naquele município do distrito de Coimbra, admitindo os investigadores da Polícia Judiciária que seja também “autor de anteriores crimes” da mesma natureza.

A mesma fonte admitiu que alguns comportamentos do homem, sem profissão, possam estar associados ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

A detenção ocorreu na quarta-feira, devendo o suspeito ser interrogado na tarde de hoje por um magistrado do TIC, na Baixa de Coimbra.

Em comunicado, a Diretoria do Centro da PJ informa que o homem, com presumível “uso de chama direta, ateou um incêndio em zona de terreno inculto, povoada com mato e árvores, ascendendo a área ardida a 0,2652 hectares”.

O fogo, que lavrou “próximo de habitações e floresta, no interface urbano com a zona mista agrícola e florestal”, no concelho de Cantanhede, teria tomado “proporções mais gravosas, caso não tivesse havido uma rápida intervenção dos bombeiros”.

“A atuação do suspeito colocou em perigo a integridade física e a vida de pessoas, habitações e a mancha florestal”, segundo a nota.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.