"Tudo o que tenha a ver com informação para que os trabalhadores tenham todos os dados antes de decidirem passar à situação de aposentação é importante. É preciso informar os trabalhadores para acabar com situações que nós tivemos anteriormente", afirmou Arménio Carlos à agência Lusa.

No entanto, o responsável nacional da CGTP, que hoje falava na Guarda, no final de um plenário de sindicatos e da cerimónia de inauguração da Casa Sindical local, considera que "essa informação é positiva, mas não chega".

Arménio Carlos referiu que "aquilo que neste momento dezenas de milhares de trabalhadores estão à espera é que o Governo cumpra com o compromisso, ou assuma o cumprimento de uma promessa de passar a uma segunda fase da antecipação das reformas para as longas carreiras contributivas".

"Ou seja, para aqueles trabalhadores que, tal como a CGTP defende, tenham 40 anos de contribuições para a Segurança Social, sejam funcionários do Estado, sejam funcionários do setor privado, possam passar à aposentação sem qualquer penalização, sem penalização de fatores de sustentabilidade, sem penalização mensal e anual", especificou.

Segundo o Arménio Carlos, "é isto que até agora o Governo não fez. É isto que o Governo tem de fazer".

"Esse, sim, é um passo significativo para não só permitir que aqueles que o entendam possam passar à reforma sem penalização" mas, também para poder rejuvenescer as empresas com a contratação de trabalhadores jovens com vínculo de trabalho efetivo, rematou.

O novo simulador de pensões da Segurança Social, que permite saber qual o valor de reforma futura e qual a data de aposentação, ficará disponível na Segurança Social Direta a partir das 00:00 de quarta-feira.

Para aceder ao simulador de pensões, é preciso estar registado na Segurança Social Direta, que conta com cerca de 4 milhões de pessoas inscritas, ou autenticar-se com o cartão do cidadão ou através da chave móvel digital (meio que permite aceder a serviços em portais e sítios na Internet de entidades públicas e privadas).

Segundo fonte oficial do Ministério do Trabalho, o simulador permite estimar o valor da pensão de velhice ou de invalidez do regime geral da Segurança Social, não estando disponível para quem desconta para a Caixa Geral de Aposentações (função pública) nem para regimes especiais ou para quem tem descontos no estrangeiro.

Para simular o valor da pensão, o sistema baseia-se em toda a carreira contributiva registada na Segurança Social até ao momento (no mínimo terá de ter 15 anos de descontos) e, para os anos da projeção, tem em conta uma inflação de 0,5% por ano e um crescimento real dos salários de 0,5%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.