De acordo com a IP, entre os trabalhos realizados esteve a substituição integral das travessas de madeira por travessas de betão, a substituição de carril, a beneficiação do sistema de drenagem em toda a extensão do troço, a retificação de traçado de via, incluindo na inserção da Concordância de Xabregas, e a beneficiação dos atravessamentos de nível no apeadeiro de Marvila e estação de Chelas.

A empreitada, segundo a empresa que gere os caminhos de ferro, permitiu a “melhoria dos níveis de segurança e qualidade da via; melhoria dos níveis de conforto e comodidade para os passageiros; melhoria dos indicadores de disponibilidade e fiabilidade da infraestrutura; cumprimento dos níveis de serviço acordados com os operadores ferroviários; redução dos níveis de emissão de ruído com a eliminação das juntas mecânicas; e redução dos custos de manutenção”.

A Linha de Cintura é uma das principais vias ferroviárias da área suburbana de Lisboa, onde circulam em média cerca de 300 comboios por dia, salientou a IP.

A infraestrutura assegura a interligação com todas as linhas radiais com terminus na capital, designadamente, as linhas do Norte, Sintra, Oeste, Cascais e Sul, garantindo também as ligações dos comboios de passageiros de longo curso, através da Ponte 25 de Abril, bem como dos comboios de mercadorias ao Porto de Lisboa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.