"A decisão que foi tomada é parcial e vergonhosa, mas não vamos superá-la (...) poderá levar algum tempo, mas a decisão será anulada", afirmou Netanyahu numa cerimónia transmitida pela televisão pública israelita.

Em causa está a resolução aprovada na sexta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU que exorta Israel a "cessar imediata e completamente qualquer atividade de colonização em território palestiniano ocupado, incluindo Jerusalém Oriental".

A resolução foi apresentada pela Nova Zelândia e pelo Senegal, aprovada com 14 votos a favor e nenhum contra, irritando Netanyahu sobretudo porque os Estados Unidos se abstiveram.

Benjamin Netanyahu já tinha anunciado hoje que irá rever as relações com a ONU e interromper "de imediato" o financiamento a organismos "particularmente hostis" a Israel.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.