Johnson, que falava na Câmara dos Comuns, confirmou que as duas pessoas encontradas inconscientes no domingo num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra, são o ex-espião russo Serguei Skripal e a filha, Yulia.

“Não estou a apontar culpados, mas digo aos governos de todo o mundo que nenhuma tentativa para matar um inocente em território britânico ficará sem sanção ou sem castigo”, disse.

“Se a investigação demonstrar a responsabilidade de um Estado, o governo responderá de forma adequada e robusta”, acrescentou.

Skripal, 66 anos, e a filha, 33, estão internados nos cuidados intensivos, em estado crítico, devido à exposição a uma substância ainda não determinada, e um elemento dos serviços de emergência que os assistiu foi também hospitalizado, segundo a polícia de Salisbury.

As autoridades estão a analisar amostras para determinar que substância pode ter sido utilizada e proibiram o acesso a um restaurante e a um ‘pub’ situados no centro comercial em causa.

A polícia antiterrorista está a dar apoio à polícia local na investigação.

Em 2006, Skripal foi condenado na Rússia a 13 anos de prisão por espionagem a favor do Reino Unido. Foi libertado em 2010 no âmbito de uma troca de espiões.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.