A Lufthansa informou hoje que vai operar 2.124 voos dos 3.000 que estavam programados e precisou que serão afetadas rotas de curto e longo curso.

O protesto dos pilotos da Lufthansa não afetará as filiais Eurowings, Swiss, Austrian Airlines, Air Dolomiti e Brussels Airlines.

Dos 876 voos afetados, 51 são ligações internacionais, calculando-se que sejam prejudicados cerca de 100.000 passageiros.

A Lufthansa disse na segunda-feira que a greve, convocada pelo sindicato Vereinigung Cockpit, é o caminho errado para a negociação do acordo coletivo e afirmou não compreender a recusa do sindicato em solucionar o diferendo através de um mediador neutro.

Esta será a 14.ª greve dos pilotos da Lufthansa desde abril de 2014.

Hoje, o pessoal de cabine da Eurowings, uma companhia de baixo custo do grupo, está a fazer uma greve de 15 horas (das 05:00 às 20:00 locais, menos uma hora em Lisboa) nos aeroportos de Hamburgo e Düsseldorf.

A paralisação obrigou ao cancelamento de pelo menos 66 voos, sobretudo ligações aéreas nacionais, mas também algumas ligações a Praga e Viena.

A greve do pessoal de cabine da Eurowings foi convocada pelo sindicato do setor dos serviços Verdi, que pede um aumento salarial para 460 funcionários e suplementos segundo a função.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.