Segundo o Retrato dos Açores da base de dados Pordata, da Fundação Francisco Manuel dos Santos, divulgado a um mês das eleições legislativas regionais, vivem nos Açores 243 mil pessoas, o que representa 2,4% da população residente em Portugal.

Em cada cinco açorianos, três abstiveram-se nas eleições regionais de 2016, com as taxas mais elevadas de abstenção a verificarem-se nas ilhas do grupo oriental (Santa Maria e São Miguel) e a mais baixa na ilha do Corvo.

A região tem vindo a perder habitantes desde 2014 e mais de metade (57%) da população do arquipélago vive na ilha de São Miguel (um quarto destes em Ponta Delgada).

Ao contrário da tendência nacional, o número de jovens (0-14 anos) nos Açores ainda é superior ao de idosos (65 ou mais anos), com o valor global de 95 idosos por cada 100 jovens.

No entanto, para este resultado contribui apenas a ilha de São Miguel, com 74 idosos por cada 100 jovens, a única onde o saldo natural é positivo (onde o número de nascimentos é superior ao de óbitos), sendo a de São Jorge a mais envelhecida.

Todas as ilhas dos Açores registam um poder de compra per capita inferior à média nacional e a Graciosa é aquela onde, em média, cada pessoa tem menor poder de compra.

A nível municipal, apenas Ponta Delgada tem um poder de compra superior ao nacional.

O produto interno bruto açoriano é de 4,3 mil milhões de euros, representando 2,1% do PIB do país.

Na região existem mais de 28 mil empresas não financeiras e quase metade está na ilha de São Miguel (48%).

Oito em cada dez empresas são de empresários em nome individual ou trabalhadores independentes e apenas mais de uma em cada quatro pertencem ao setor primário, que mesmo assim tem mais do dobro do peso na região quando comparado com o nível nacional.

A aquisição de animais (48 milhões de euros) representa 73% do total do investimento no setor da agricultura e 37% do total investido na aquisição de animais a nível nacional, e mais de um terço (34%) da pesca nacional do atum é feita nos Açores.

Quase três em cada quatro trabalhadores açorianos estão empregados no setor terciário, mas a agricultura e pescas representam o dobro da importância, no peso relativo da população empregada, face aos dados nacionais.

Mais de metade dos trabalhadores açorianos têm, no máximo, o ensino básico completo.

Os beneficiários do subsídio de desemprego registam um valor próximo ao nacional (cerca de dois em cada 100 residentes), estando abaixo deste valor as ilhas do Corvo, São Jorge e Terceira.

Em termos de educação, sete em cada 10 habitantes têm o ensino básico e um em cada 10 completou o ensino superior.

A taxa de abandono escolar dos jovens entre os 18 e os 24 anos é de 27%, mais do dobro da registada em termos nacionais.

Em 2018, a dívida total das autarquias açorianas representava 3,4% da dívida total dos municípios do país.

Vila Franca do Campo e Nordeste foram as únicas câmaras dos Açores que ultrapassaram a sua capacidade de endividamento em 2018, ano em que apenas quatro (Ponta Delgada, Corvo, Ribeira Grande e São Roque do Pico) dos 19 municípios dos Açores apresentaram um saldo financeiro negativo.

Por cada 100 residentes há dez beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI), um rácio que, à exceção do Pico, Faial, Flores e Corvo, é acima do nacional (que é de três por cada 100 residentes).

Em 2019, o rácio de habitantes por médico era de 278 e, no ano anterior, os oito hospitais da região localizavam-se nas três ilhas mais populosas: São Miguel (4 hospitais), Terceira (3 hospitais) e Faial (1 hospital).

Uma casa no arquipélago custa menos 146​​​​​​​ euros por metro quadrado do que a média nacional.

A par com a tendência nacional, o número de alojamentos turísticos duplicou no Açores entre 2014 e 2018, com crescimento sobretudo nas ilhas de São Jorge, Flores e Pico, e mais de metade dos hóspedes que fazem turismo nos Açores são estrangeiros.

Entre 2001 e 2018/2019, o número de museus e de galerias de arte mais do que duplicou e, em contrapartida, os recintos de cinema foram reduzidos de nove em 2001 para seis, localizados nas ilhas de São Miguel, Terceira e Pico.

As eleições legislativas regionais nos Açores realizam-se a 25 de outubro.

Constituem o arquipélago açoriano as ilhas de São Miguel, Terceira, Faial, Pico, São Jorge, Graciosa, Santa Maria, Flores e Corvo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.