Se 88% dos portugueses acham que Luís Filipe Vieira deve demitir-se do cargo de presidente do Benfica, 62% defendem a demissão da atual direção em bloco e eleições antecipadas — algo que deverá acontecer até ao final do ano.

Quando ouvidos os benfiquistas, as percentagens são ligeiramente diferentes: 84% dos adeptos do clube da Luz desejam a demissão de Vieira, 52% querem um acerto de contas eleitoral, mas 40% defendem que o presidente interino se mantivesse onde está.

O trabalho de campo da sondagem da Aximage, para o DN, TSF e JN, foi efetuado entre 10 e 12 de julho, sendo recolhidas 763 entrevistas entre maiores de 18 anos residentes em Portugal.

Luís Filipe Vieira, que suspendeu funções na presidência do Benfica, foi um dos quatro detidos numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado, SAD do clube e Novo Banco.

Vieira, que está em prisão domiciliária até à prestação de uma caução de três milhões de euros, e proibido de sair do país, está indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação.

Segundo o Ministério Público, o empresário provocou prejuízos ao Novo Banco de, pelo menos, 45,6 milhões de euros, compensados pelo Fundo de Resolução.

No mesmo processo foram detidos, para primeiro interrogatório judicial, o seu filho Tiago Vieira, o agente de futebol e advogado Bruno Macedo e o empresário José António dos Santos, todos indiciados por burla, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e fraude fiscal.

O antigo futebolista Rui Costa, vice-presidente na direção de Vieira, assumiu a liderança do clube e da SAD.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.