Hoje, foram registados 483 casos de covid-19 na cidade costeira de Sanya, que tem mais de um milhão de habitantes, na ilha de Hainan, apelidada de “Havai chinês”, segundo a agência de notícias AFP.

Todos os voos de Sanya, um local popular para os surfistas, foram cancelados durante o fim de semana e as vendas de bilhetes de comboio foram suspensas.

Os turistas que desejam sair devem ter cinco testes PCR negativos realizados nos últimos sete dias, segundo as autoridades de saúde.

Os hotéis da cidade devem oferecer aos seus hóspedes um desconto de 50% até que as restrições de viagem sejam levantadas, disse um funcionário numa conferência de imprensa no sábado.

Em Sanya, locais de entretenimento público como ‘spas’ e bares estão fechados desde a semana passada, mas serviços essenciais como supermercados e farmácias continuam abertos.

A China é a única grande economia que continua a aplicar uma estratégia “zero covid”, impondo bloqueios e longas quarentenas que penalizam o turismo local.

As fronteiras do país estão praticamente fechadas desde o início de 2020, impedindo a entrada de visitantes estrangeiros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.