Em causa estão as instalações da Camarc, empresa do distrito de Aveiro onde laboram cerca de 100 trabalhadores, um dos quais ficou hoje ferido com gravidade, após o que foi transferido para o Hospital de Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, com queimaduras e dificuldades respiratórias.

José Gonçalves, comandante dos Bombeiros Voluntários de Arouca, esteve a coordenar o trabalho de 77 operacionais e 31 viaturas de socorro, e, embora não sabendo identificar as causas do incêndio detetado às 14:23, disse que os estragos foram significativos devido à combustibilidade das madeiras e à rapidez da propagação.

"Não dá para saber onde o fogo começou porque foi tudo muito rápido e, com o vento, propagou-se num instante. Mas foi tudo comido pelas chamas e não se aproveita nada", afirmou.

Com os dois pavilhões da Camarc evacuados, os bombeiros impediram o alastramento do fogo às fábricas contíguas e no local está agora uma máquina de rasto "para o rescaldo se fazer com a maior velocidade possível".

Em atividade há 40 anos, essa empresa da freguesia de Mansores refere no seu ‘site’ oficial que é "líder no fabrico de caixas de madeira para a indústria dos vinhos e bebidas espirituosas", fornecendo "prestigiadas marcas de França, Grécia e Espanha", entre outros países.

A empresa descreve-se também como "um dos principais fabricantes nacionais [de mobiliário] de puericultura", segmento em que detém a marca Pueri.

(Artigo atualizado às 17:23)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.