Em comunicado, o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) refere que na manhã de quarta-feira o navio-patrulha “Zaire”, em missão de capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, recebeu um pedido de auxílio de uma barcaça que se estava a afundar.

Após a Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe ter pedido o apoio ao navio português, foi prestado auxílio à embarcação.

“Rapidamente os elementos de serviço projetaram, através de um bote pneumático, uma equipa guarnecida com uma motobomba, que efetuou esgoto aos porões, tendo contribuído para evitar o naufrágio da barcaça e a consequente perda de toda a carga”, explica.

Os militares do “Zaire”, a bordo da barcaça, apoiaram os elementos da Empresa Nacional de Administração de Portos, coordenando as manobras de esgoto, até a mesma se encontrar segura, acrescenta.

O comunicado adianta que, devido à inexistência de um porto de águas profundas, os contentores de mercadorias são transportados, entre os navios mercantes e o porto de São Tomé, com recurso a barcaças ou batelões rebocados.

“Estas barcaças são utilizadas de uma forma intensiva, revelando-se essenciais para o abastecimento da ilha”, realça o texto.

O navio português, atualmente operado por uma guarnição mista, constituída por militares portugueses e santomenses, prossegue a sua missão de capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, mantendo prontidão de atuação no âmbito da segurança marítima da região e dos navegantes, acrescenta o comunicado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.