Em comunicado, a autarquia refere que, depois de feito o levantamento dos prejuízos, irá “avaliar todas as ações a tomar, nomeadamente interceder junto do Governo”.

A Associação dos Produtores Agrícolas do Vale do Douro promove, ao final da tarde de hoje, no salão nobre dos Bombeiros Voluntários de Lamego, uma reunião com produtores para avaliar os prejuízos.

Fonte da associação disse à agência Lusa que antes dessa reunião não é possível ter uma ideia do prejuízo global do concelho, mas já se sabe que, por exemplo, a produção de mirtilos “foi toda à vida”.

O mau tempo provocou diversas inundações, quedas de árvores e cortes de abastecimento público no concelho de Lamego, continuando os meios do município “no terreno, em permanência, com vista a atender prontamente a todas as ocorrências”.

“A salvaguarda de pessoas e bens, o restabelecimento dos serviços afetados, a limpeza das vias interrompidas e a resolução de situações particulares, nomeadamente a inundação de caves de habitações, são neste momento as principais prioridades dos serviços municipais”, explica.

A Proteção Civil Municipal de Lamego está a coordenar um dispositivo que integra os bombeiros voluntários, a PSP, a GNR e a Divisão de Serviços Urbanos da autarquia, que atenderam até ao momento a mais de 50 situações de emergência.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.