“O controlo é mantido (...) após a retenção de 18 guardas. A área do perímetro [da cadeia] está totalmente protegida pelos polícias”, afirmou o Sistema Penitenciário em nota. Os agentes estão retidos desde quarta-feira à noite.

“Até o momento nenhuma desordem ou feridos foram registados (...) no Centro de Alta Segurança Canadá”, nome oficial da prisão, informou o texto.

Os prisioneiros exigem "a transferência de alguns presos" de outras prisões para esta cadeia localizada na zona sul de Escuintla, disse à AFP um funcionário da área de comunicação do SP, observando também que as autoridades mantêm um diálogo com os presos para a liberação dos guardas.

No presídio encontram-se cerca de 200 membros do Bairro 18, gangue que, tal como os seus rivais do Mara Salvatrucha, se dedica a extorquir, principalmente de comerciantes e empresários de transporte de passageiros.

Trabalhadores de comércios, motoristas ou revisores de autocarro foram assassinados por falta de pagamento em diversas ocasiões, segundo as autoridades .

Com presença significativa na América Central, os gangues e o narcotráfico são responsáveis por quase metade das 3.500 mortes violentas que ocorrem a cada ano no país, segundo autoridades.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.