Merkel, que durante os seus 16 anos no poder estreitou as relações com germano-israelitas, chegou no final da noite de sábado a Telavive, encontrando-se, hoje e em Jerusalém, com o primeiro-ministro, Naftali Bennett.

“A relação entre a Alemanha e Israel era forte, mas com a Alemanha sob sua liderança, tornou-se mais forte do que nunca. Não é mais apenas uma aliança, mas uma verdadeira amizade. Devemos isso à sua liderança”, disse o primeiro-ministro Bennett dirigindo-se a Merkel.

Angela Merkel, que ainda hoje deve visitar Yad Vashem, o memorial do Holocausto em Jerusalém, elogiou o facto de as duas nações terem consolidado relações, mesmo após o genocídio judeu pela Alemanha nazi.

“A questão da segurança de Israel será sempre central para qualquer governo alemão”, acrescentou a chanceler.

O jornal de direita Israel Hayom escreve mesmo que “nenhum chanceler alemão fez tanto para melhorar relações entre Alemanha e Israel como Angela Merkel”.

Durante seus 16 anos no poder, Angela Merkel fez do direito de Israel de se defender contra seus inimigos uma das prioridades da política externa alemã, enquanto clamava por um diálogo sobre esta questão delicada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.