O capitão Mohamed Hussein disse que os guarda-costas que escoltavam Nur Farah dispararam sobre um carro que transportava o ministro das Obras Públicas e Reconstrução, Abbas Abdullahi, nas proximidades de um posto de controlo, perto do palácio, mas que ainda não está claro o que desencadeou o tiroteio.

As preocupações com a segurança são elevadas na capital da Somália, Mogadíscio, uma vez que o grupo al-Shabab continua a atacar o palácio, instalações militares e hotéis, com viaturas carregadas de explosivos e conduzidas por suicidas, além de outras ações.

O carro que transportava o ministro aproximou-se da viatura que transportava o auditor geral, pondo-se a segui-lo, o que levou os guarda-costas deste a dispararem, disse Hussein.

Os guarda-costas do ministro responderam ao fogo.

Um outro ministro, que estava no carro com o governante que foi morto, sobreviveu, avançou Hussein.

O novo Governo da Somália tomou posse no fim de março, depois de o Presidente, Mohamed Abdullahi Mohamed, ter sido eleito, em fevereiro.

O ministro que foi morto era um antigo refugiado, que passou grande parte da sua vida num campo no Quénia, e o membro mais jovem do novo Governo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.