Em declarações à Lusa, João Cravinho adiantou também ter ficado decidido para 2023 uma “reunião de alto nível presidida pelos primeiros-ministros” dos dois países, reunião que decorrerá na Argélia, além de uma visita de Estado do presidente da Argélia a Portugal.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português adiantou que a visita hoje a Argélia, onde esteve com Ramtane Lamamra, que conhece desde 2005 altura em que este foi embaixador em Lisboa, foi “baseada num conhecimento antigo”, mas também uma visita a um país que “não sendo vizinho”, partilha “muitas preocupações”.

“Não sendo um país vizinho é quase e partilha muitas preocupações em relação à região, ao mediterrâneo, à relação da União Europeia com África e com o mundo árabe. Foi importante para falarmos do que podemos fazer juntos num quadro de transformação geopolítico e transformação geoeconómica”, explicou.

João Cravinho salientou que a questão da invasão da Ucrânia pela Rússia, foi um fator “que não podia deixar de ser objeto de diálogo”, adiantando também que as “questões geoeconómicas relacionadas com a energia, com as energias renováveis e as oportunidades que aparecem com a transição digital” também estiveram em cima da mesa.

“Apesar de a Argélia ser grande exportador de combustíveis fosseis é também um país com imenso potencial em matéria de energia solar e energia eólica. Temos empresas muito qualificadas nessas áreas e houve manifestação de interesse do lado argelino em [ter] investidores portugueses nessas áreas”, avançou o ministro.

O responsável disse que esta será uma matéria para trabalhar com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), com o secretário de Estado da internacionalização, bem como o ministério setorial, nomeadamente o Ministério do Ambiente e das Alterações Climáticas.

Para 2023 ficou agendada uma “reunião de alto nível presidida pelos primeiros-ministros” dos dois países, reunião que decorrerá na Argélia, além de uma visita de Estado do presidente da Argélia a Portugal.

“Temos um calendário bastante intenso entre os dois países. Vamos agora tratar de organizar a comissão mista onde técnicos de ambos os países se juntam”, disse, frisando haver “14 instrumentos jurídicos que estão praticamente finalizados e que serão objeto de assinatura” em 2023.

João Gomes Cravinho esteve hoje em visita à Argélia para avaliar as relações bilaterais no plano económico mas também da cooperação, língua e cultura, e ainda discutir temas internacionais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.