Luso-brasileiro, André Jordan nasceu na Polónia em 1933, exatamente no ano em que Hitler assumiu o poder na vizinha Alemanha. Morou em Paris, Buenos Aires, Nova Iorque e Rio de Janeiro, mas escolheu Portugal para viver.

Foi também por cá que fez a sua vida como empresário, tendo criado, 1971, os empreendimentos turísticos da Quinta do Lago e Vilamoura XXI. Com isto, Jordan foi um dos percursores nos empreendimentos imobiliários no Algarve. Mais tarde, desenvolveu o Belas Clube de Campo, perto de Lisboa.

No final da década de 80, após a venda da Quinta do Lago assumiu em Londres o cargo de administrador executivo da Bovis Abroad, empresa do Grupo Bovis dedicado aos negócios imobiliários internacionais, com projetos em Espanha, Portugal e no Caribe, incluindo o famoso La Manga Club, no sul de Espanha.

Em 1995, adquiriu a Lusotur, proprietária de Vilamoura, o maior complexo residencial e de lazer na Europa, empresa que foi vendida a investidores espanhóis em 2006.

Na região de Lisboa, fundou o projeto Belas Clube de Campo, no concelho de Sintra.

"Quando eu cheguei ao Algarve não havia nada: não havia restaurantes, não havia lojas, não havia cinemas, não havia livrarias, não havia nada. Nem havia frigoríficos, era preciso ir a Lisboa para comprar um", disse em 2020, quando o SAPO24 falou com André Jordan.

Nessa conversa, referia também não ter medo da morte. "Sei que é inevitável; já perdi os meus pais, já perdi parentes, perdi uma irmã, perdi amigos. Não é que goste, mas sei que chegará a minha vez", dizia. Recorde aqui a entrevista.

*Com Lusa

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.