Maria Alberta Menéres, escritora, poetisa e professora de Língua Portuguesa e História dos Ensinos Básico e Secundário, faleceu esta segunda-feira, 15 de abril, aos 88 anos.

A informação foi avançada pela filha Eugénia Melo e Castro nas redes sociais e posteriormente confirmada pela Porto Editora em comunicado.

"A Porto Editora lamenta profundamente a partida de uma das mais reconhecidas escritoras portuguesas, com uma extensa e notável obra literária dedicada aos novos, expressando publicamente o seu pesar à Família, Amigos e aos muitos milhares de leitores. A todos, fica a certeza de que a sua obra perdurará", pode ler-se no comunicado da Porto Editora, que recordou o percurso da escritora.

"Licenciada em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Maria Alberta Menéres foi professora do Ensino Técnico, Preparatório e Secundário, nas disciplinas de Língua Portuguesa e História (de 1965 a 1973)".

"A escritora organizou a Antologia da Poesia Moderna Portuguesa ( 1940/1967), em 1976, e, dois anos mais tarde, a Novíssima Antologia da Moderna Poesia Portuguesa, 2 volumes, pela Moraes Editora, em parceria com o Poeta E. M. de Melo e Castro."

Mas a sua atividade não se resumiu ao ensino ou à literatura: "de 1974 a 1986. foi Directora do Departamento de Programas Infantis e Juvenis da Radiotelevisão Portuguesa, RTP, tendo sido autora e produtora de inúmeros programas televisivos para crianças e jovens. Maria Alberta Menéres foi ainda assessora do Provedor de Justiça, de 1993 a 1998, sendo da sua responsabilidade as primeiras linhas de apoio a Crianças e Idosos em Portugal."

Autora de mais de 100 livros infantis e juvenis, destaca-se "Ulisses", uma adaptação da obra de Homero para alunos do 6º ano, que conta já com 45 edições e mais de um milhão de exemplares vendidos.

De referir ainda que, entre múltiplas actividades, Maria Alberta Menéres foi, também, a criadora do conceito, e deu o nome, ao "Pirilampo Mágico", a convite de José Manuel Nunes da Antena 1. Foi autora durante seis anos das letras das canções dessa campanha solidária «Pirilampo Mágico», campanha que dura até hoje, recorda a Porto Editora.

Em 1975, a escritora adaptou para o Português actual a obra PEREGRINAÇÃO de Fernão Mendes Pinto, ( 2 volumes, Edições Afrodite ), obra estudada e editada também no Brasil, pela Editora Nova Fronteira. A escritora fez  ainda traduções, adaptações, dezenas de peças de teatro, para além de uma sólida obra de poesia adulta com 15 livros publicados (e que em breve será reeditada pela Porto Editora, com o título "POESIA COMPLETA").

Em 1986, Maria Alberta Menéres recebeu o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças, “pelo conjunto da sua obra literária e a manutenção de um alto nível de qualidade". Em 2010 foi agraciada com a Condecoração da Ordem de Mérito Civil no grau de Comendador.

A autora é mãe de Alberta Melo e Castro e de Eugénia Melo e Castro, avó de Mariana Melo e bisavó de Mia, com 9 anos.

Adolfo Mesquita Nunes foi dos primeiros a reagir à sua morte através do Twitter.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.