Quando a "A Conspiração Contra a América" foi publicada, em 2004, a América já tinha sido abalada por um momento fundador do século XXI, o ataque de 11 de setembro às Torres Gémeas que se tornou numa memória coletiva à escala planetária. Contudo, o livro de Philip Roth não nos propôs um regresso ao futuro, mas sim um exercício de reescrita da história a partir de factos que podiam ter sido realidade. "A Conspiração contra a América" leva-nos até um país à beira das eleições em 1940, num cenário em que um aviador e herói nacional com ideias anti-semitas, Charles Lindbergh, se apresenta como candidato frente a Franklin Roosevelt - e ganha.

Sabemos que não foi esse o rumo da história, mas as interrogações lançadas por Philip Roth vão muito além do intervalo histórico que retrata e permitem olhar para temas hoje igualmente contemporâneos como a relação da sociedade americana com as suas minorias, o ideal americano de democracia e da afirmação do país no contexto mundial.

"A Conspiração Contra a América" recebeu o prémio da Sociedade de Historiadores Americanos pelo "excecional romance histórico sobre um tema americano" e foi considerado Melhor Livro do Ano pelo New York Times Book ReviewSan Francisco ChronicleBoston GlobeChicago Sun-TimesLos Angeles Times Book ReviewWashington Post Book WorldTime e Newsweek. No Reino Unido recebeu o W.H. Smith Award para Melhor Livro do Ano, fazendo de Roth o primeiro escritor em quarenta e seis anos de história deste prémio a ganhá-lo por duas vezes.

Num tempo em que tanto se fala de realidades alternativas é este o livro que escolhemos para nos levar até à primeira conversa no clube de leitura "É Desta Que Leio Isto", onde desde abril temos vindo a ler um conjunto de livros, entre clássicos da literatura e novos valores.

É Desta Que Leio Isto – E se a América fosse governada por um antissemita?
É Desta Que Leio Isto – E se a América fosse governada por um antissemita?
Ver artigo

Para esta primeira conversa contamos com a participação do jornalista Francisco Sena Santos que conduzirá a conversa com Bernardo Pires de Lima, o convidado desta sessão que decorrerá no próximo dia 15 de outubro às 21h30. 

Bernardo Pires de Lima é Investigador Associado do Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa e analista de política internacional do Diário de Notícias, da RTP e da Antena 1. Em 2018, fundou o Grupo de Reflexão sobre o Futuro de Portugal, composto por 45 quadros portugueses nascidos depois de 1974, sobre as grandes tendências da globalização com impacto em Portugal.

"Portugal na era dos homens fortes - Democracia e autoritarismo em tempos de covid" é o mais recente livro de Bernardo Pires de Lima e trata-se de um ensaio sobre o momento político atual e o posicionamento que Portugal pode adotar que lhe permita potenciar "os seus atributos de pequeno Estado numa globalização competitiva e o preserve como democracia liberal madura no meio do alastramento populista e autoritário que nos rodeia".

A iniciativa "Livros para entender a América" conta com a parceria com a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e decorre até ao final do mês de outubro.

No âmbito desta iniciativa, a FLAD vai oferecer um conjunto de livros aos participantes nesta iniciativa, bastando para isso participarem nas sessões "É Desta Que Leio Isto" que decorrem a partir do próximo dia 15 de outubro, data em que vamos falar do livro "A Conspiração Contra a América" (inscreva-se através deste link).

Os livros seguintes serão, por esta ordem: "Americanah", de Chimamanda Ngozi Adichie, "Correções", de Jonathan Franzen, e "Viagem ao Sonho Americano", de Isabel Lucas.

O clube de leitura conta já com mais de 550 membros que todas as semanas partilham ideias sobre o tema que os une: a literatura e o universo dos livros. Se ainda não faz parte desta comunidade, pode inscrever-se no grupo através deste link e seja bem-vindo à discussão ao sabor dos livros.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.