“É o povo quem mais ordena, e foi o povo que me quis dar a honra de me eleger Presidente da República de Portugal.”

Discurso de vitória como Presidente da República

24-01-2016

“Neste momento é fundamental que as pessoas se sintam próximas dos símbolos da pátria. A bandeira, o hino, o Presidente, o Palácio de Belém, mas sobretudo se sintam próximas umas das outras. A unidade é mais importante que a divisão dos portugueses.”

12-03-2016

“Só em 2017 começaremos a ter uma resposta para este problema: como foi a execução [do Orçamento do Estado de 2016], o modelo provou ou não provou. (…) A política é muitas vezes a arte do possível. Resta saber se o possível é suficiente.”

28-03-2016

“Há um clima mais descrispado, mais sereno, mais calmo na vida portuguesa e é este viver de uma forma habitual naquilo que eu chamo estabilidade política, económica, social e financeira é bom para o país.”

29-03-2016

“Como Presidente da República Portuguesa, orgulho-me de estar aqui hoje perante esta assembleia e poder dizer: a Europa não faltou no auxílio a Portugal e Portugal honrou os seus compromissos, saindo de forma limpa do Programa de Ajustamento.”

Intervenção no Parlamento Europeu

13-04-2016

“Saudar os capitães de Abril é dever de todos os que, em Portugal, se louvam da democracia que o seu gesto patriótico permitiu instaurar.”

No discurso comemorativo do 25 de abril

25-04-2016

“Mal fora que o Presidente irradiasse infelicidade, azedume, má disposição com a vida e com os portugueses. Portanto, que bom isso ser reconhecido, haver um elogio ao Presidente que irradia aquilo que deve irradiar.”

Comentando as declarações de Pedro Passos Coelho de que há “uma certa imagem de felicidade que irradia do Presidente”

01-05-2016

“Desiludam-se aqueles que pensam que o Presidente da República vai dar um passo sequer para provocar instabilidade neste ciclo que vai até às autárquicas. Depois das autárquicas, veremos o que é que se passa.”

24-05-2016

“Angola sabe que Portugal é um irmão que olha para a sua pujança, para a sua potência e para o seu futuro com alegria e aposta.”

02-06-2016

“Foi o povo quem, nos momentos de crise, soube compreender os sacrifícios e privações em favor de um futuro mais digno e mais justo. O povo, sempre o povo, a lutar por Portugal. Mesmo quando algumas elites - ou melhor, as que como tal se julgavam - nos falharam.”

10-06-2016

“Portugal está na União Europeia, sente-se bem na União Europeia e quer continuar na União Europeia. Quanto ao resto, a Constituição diz que a decisão sobre o referendo é do Presidente da República e, portanto, é uma questão que não se põe neste momento.”

26-06-2016

“O bom senso imporia que não se aplicasse sanção nenhuma ao Governo de Passos Coelho, que não merece, e não aplicar sanção nenhuma ao Governo de António Costa que, na pior das hipóteses, ainda não merece, e na melhor das hipóteses nunca merecerá.”

02-07-2016

“Este [o cogumelo maior] é o Presidente da República e este é o Governo que é [ o cogumelo] mais pequenino. Solidariedade institucional, o Presidente para aguentar o Governo por uns tempos.”

05-07-2016

“Sofremos muito, mas mostramos aquilo que somos, resistentes, unidos, capazes de aguentar tudo. (…) É Portugal no seu melhor.”

Após a conquista do Europeu de futebol depois de vencer na final a França por 1-0

10-07-2016

“É uma ilusão a ideia de que se pode decretar um dia: acabou a crise. No dia seguinte passamos todos a ter emprego e somos todos felizes. Isso não existe.”

05-09-2016

“De cada vez que um responsável público se deslumbra com o poder, se acha o centro do mundo, se distancia dos governados, aparenta considerar-se eterno, alimenta clientelas, redes de influência de promoção social, económica e política, de cada vez que isso acontece aos olhos do cidadão comum é a democracia que sofre. É o 5 de outubro que se empobrece ou esvazia.”

Na cerimónia comemorativa do 05 de outubro

05-10-2016

“Já imaginou o que é consenso entre biliões de neurónios? Se é possível esse consenso há de ser possível o consenso entre meia dúzia de partidos.”

No final de uma visita a um campus de biotecnologia em Genebra

17-10-2016

“Se há fundos públicos, não é possível nem desejável pagar [aos gestores da Caixa Geral de Depósitos] o que se pagaria se fosse um banco privado sem fundos públicos.”

19-10-2016

“Como sabem, eu não era propriamente dos apoiantes [de Fidel Castro], não direi da personagem em si mesmo, mas da política que representava. Em qualquer caso, há na vida personalidades com as quais concordamos ou não concordamos, mas que assinam um certo tempo.”

26-10-2016

“Eu desde o início do mandato tenho adotado uma posição que é: não há porta-vozes meus, não há fontes de Belém, a única fonte de Belém sou eu, é o Presidente. E o Presidente, quando entende que deve falar, fala claro, não fala mais ou menos, não fala assim-assim.”

07-11-2016

“O fundamental não é que as vacas voem mas que os portugueses vivam melhor, que haja rigor financeiro, boas relações com a Europa, haja estabilidade política e social e que haja mais crescimento económico, mais investimento, mais exportações e mais crescimento. Se assim for, isso é bom para Portugal e mesmo que as vacas continuem a não voar.”

25-11-2016

“O que celebramos e celebraremos sempre é a nossa pátria e a nossa independência. (…) O feriado [que assinala a Restauração da Independência] nunca deveria ter sido suspenso.”

01-12-2016

“É isso que se espera do Presidente da República [estar em contacto permanente com as pessoas]. Não tem nada a ver com a ideia: ele está a fazer isto para ser popular a pensar numa recandidatura. Não é nada disso, isso é completamente irrelevante.”

04-01-2017

“Resta a Mário Soares, como inspirador, travar o derradeiro combate, aquele em que estamos e estaremos todos com ele: (…) o combate da imortalidade do seu legado, um combate que iremos vencer, porque dele nunca desistiremos, tal como Mário Soares nunca desistiu de um Portugal livre, de uma Europa livre, de um mundo livre. E, no que era decisivo, ele foi sempre vencedor.”

Reação à morte do antigo Presidente da República, Mário Soares

07-01-2017

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.