Esta breve referência do líder do Governo à execução do Orçamento do Estado para 2019 foi feita no debate quinzenal, em resposta a uma questão formulada pelo secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro.

"Portugal tem sido justamente citado como um grande exemplo de um país que fez uma notável consolidação orçamental e dentro de dias saberemos o saldo orçamental de 2019", começou por referir o primeiro-ministro.

A expectativa do Governo, segundo António Costa, é que, "com grande probabilidade", Portugal terá registado "um saldo orçamental positivo".

Em relação a este ano, o Orçamento do Estado para 2020 prevê igualmente um excedente, neste caso na ordem dos 0,2%.

No entanto, na segunda-feira, em entrevista à TVI, António Costa já colocou completamente de parte a possibilidade de esse objetivo ser atingido devido aos efeitos económicos, financeiros e sociais provocados pela crise pandémica de covid-19.

"Tivemos uma redução sustentada da nossa dívida pública, os nossos juros da dívida registaram uma descida muito significativa e, apesar disso, ao primeiro sinal de crise, imediatamente os mercados reagiram da pior forma. Foi muito positiva a reação do Banco Central Europeu (BCE) que permitiu controlar este primeiro risco de crise de dívidas soberanas com a intervenção que fez na semana passada. Mas não é suficiente", acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.