“É uma primeira conferência e é excecionalmente importante. Temos um grave problema de falta de atenção sobre as questões dos oceanos. Existe hoje uma consciencialização sobre as questões do clima e a necessidade de combater as mudanças climáticas, mas essa consciência não existe em relação aos oceanos. Esta conferência visa começar a mudar essa situação”, disse o embaixador à Lusa.

O diplomata diz que o documento, que será oficialmente adotado na sexta-feira, “é um apelo para que os estados tomem as medidas necessárias, e as tomem rapidamente, para que seja cumprido o que foi acordado no Objetivo 14 da Agenda do Desenvolvimento Sustentável, sobre preservação e exploração sustentável dos oceanos.”

Além da adoção do compromisso pelos estados, a conferência tem outros dois objetivos: promover o diálogo entre governos, empresas, fundações e organizações não-governamentais, e a realização de compromissos voluntários.

No âmbito da conferência, será lançado um ‘site’ na Internet onde qualquer organização, pública ou privada, pode registar os seus compromissos para a defesa dos oceanos.

Portugal será representado na conferência pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que faz um discurso na terça-feira e participa numa série de eventos, como um encontro de “campeões dos oceanos” organizado pela UNESCO e a Sky News.

Como representante da sociedade civil, estará presente o Presidente da comissão executiva da Fundação Oceano Azul, Tiago Pitta e Cunha.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.