“Qualquer reclamação relacionada com o processo [eleitoral norte-americano] deve ser tratada através dos meios constitucionais e legais estabelecidos”, disse o porta-voz da Organização das Nações Unidas (ONU), Stéphane Dujarric, questionado pela agência noticiosa Efe sobre o assunto.

Dujarric deixou claro que esta mensagem seria a mesma que as Nações Unidas dariam a uma questão similar, que se pusesse a qualquer outro país, e recordou que a ONU “não tem qualquer posição” sobre debates, porque não pode comentar o processo eleitoral em si mesmo.

Hoje de madrugada, no último debate eleitoral da campanha norte-americana, Donald Trump questionado sobre se reconheceria a vitória da democrata Hillary Clinton no próxima dia 08 de novembro respondeu: “Ver-se-á na altura, manterei o suspense”.

Além disso, insistiu que a campanha eleitoral está a ser “manipulada”.

O magnata nova-iorquino manteve hoje a mesma posição ao assegurar que, “se ganhar”, aceitará o resultado das eleições a 08 de novembro.

Trump disse ainda que se reserva “o direito de impugnar” o resultado eleitoral caso este seja “questionável”.

A candidata democrata qualificou na altura essa resistência por parte de Trump de se negar a decidir se aceita o resultado das eleições de “espantosa”.

Donald Trump passou os dias anteriores ao terceiro e último debate a alertar os seus votantes sobre os comícios que estão a ser “manipulados”, agitando o fantasma da fraude eleitoral.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.