Centenas de pessoas, entre voluntários, parceiros empresariais e responsáveis da Igreja e das entidades públicas envolvidas na organização da JMJ, participaram esta manhã, no Vaticano, numa audiência com o Papa Francisco, que, citado pela agência Ecclesia, assegurou: “Trouxe do encontro de Lisboa uma emoção muito grande e lembro, também, as pessoas simples”.

Na audiência participaram os cardeais D. Manuel Clemente (patriarca emérito de Lisboa) e D. Américo Aguiar (presidente da Fundação JMJ 2023 e bispo de Setúbal), bem como os bispos D. Rui Valério (patriarca de Lisboa) e D. Joaquim Mendes (auxiliar do Patriarcado).

Aos participantes, Francisco disse ter ainda consigo o rosário que lhe foi oferecido por Maria da Conceição Mendonça, de 106 anos, nascida no dia das aparições de Fátima, em 13 de maio de 1917, recordou o encontro com Edna Rodrigues, jovem com uma doença terminal, e evocou os filhos de uma peregrina francesa que morreu durante a Jornada de Lisboa.

Referindo-se a D. Américo Aguiar como “um cardeal especial, um pouco ‘enfant terrible’”, o Papa homenageou ainda o trabalho dos que contribuíram para o sucesso da JMJ.

Francisco tinha um texto preparado para ler na audiência, que, devido aos problemas de saúde que o têm afetado nos últimos dias, foi lido por monsenhor Ferreira da Costa, padre português que trabalha na Secretaria de Estado do Vaticano.

“Que alegria ver-vos aqui juntos! Começo por vos renovar a minha gratidão e a da Igreja inteira, concretamente dos jovens! Foi-vos confiada a realização daquele encontro mundial, e vós, fortes com o auxílio de muitos e uma graça extraordinária de Deus, não nos desiludistes. Bem hajam!”, refere o documento.

A JMJ Lisboa 2023 conseguiu “trazer para o centro quem até agora tinha vivido marginalizado”, convidando a manter o compromisso neste “grande sonho comum”, acrescenta.

“Continuai a sonhar juntos. Continuai a envolver, em ondas sucessivas, novos companheiros sonhadores de uma sociedade feita por todos e no respeito de cada um. Vou repetindo e fico contente ao ver que muitos já me fazem eco: todos, todos, todos”, apelou, apontando como prioridade “trazer de volta e sentar à mesa comum quem ficou para trás”.

O encontro de hoje com o Papa Francisco, segundo a organização da JMJ Lisboa 2023, visou "agradecer esta magnífica oportunidade de juntar culturas e povos na vontade de construir um mundo de paz, de fraternidade e de esperança", que foi a Jornada.

A visita da delegação a Roma iniciou-se na quarta-feira e prolonga-se até domingo, tendo sido aberta com a celebração de uma missa na Igreja de Santo António dos Portugueses, atribuída pela Santa Sé ao cardeal D. Manuel Clemente.

A deslocação terminará com missa na Igreja de Santo António de Pádua, em Roma, igreja que foi concedida a D. Américo Aguiar pelo Papa Francisco, na altura da sua criação como cardeal, em 30 de setembro.

Assis estará também no itinerário dos participantes nesta deslocação a Itália, estando prevista a celebração de uma missa no dia 2 dezembro, sábado, junto do túmulo do beato Carlo Acutis, um dos patronos da JMJ Lisboa 2023.

A JMJ Lisboa 2023 decorreu em Lisboa entre 1 e 6 de agosto, com a participação de centenas de milhares de jovens de todo o mundo, tendo os momentos principais sido presididos pelo Papa Francisco.

A próxima edição da JMJ será realizada em Seul, na Coreia da Sul, em 2027.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.