“Um problema sério de mais para ser jogado demagogicamente como trunfo eleitoral pelo PS e o seu Governo prometendo mundos e fundos em nome de um PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] que para a habitação não tem, e o Governo sabe que não tem, os montantes financeiros suficientes para corresponder por inteiro à dimensão da carência habitacional no país à propaganda que andam a fazer”, afirmou, durante um comício da CDU, em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Na sua opinião, a habitação requer um investimento por parte do Estado e uma intervenção das autarquias.

Centrando-se em Vila Nova de Gaia, onde a candidata à câmara municipal é a deputada da Assembleia da República Diana Ferreira, o comunista vincou que o concelho precisa de “respostas sérias” nesta matéria dado o direito à habitação não estar assegurado. Respostas que não sejam orientadas para a especulação imobiliária, nem para os grandes interesses económicos, mas que respondam às necessidades da população, ressalvou.

“Gaia, tal como a Área Metropolitana do Porto, não pode estar orientada para ter casas de luxo para os ricos e habitação degradada para os trabalhadores”, afirmou. A habitação é um direito e a existência de mais de 2.000 famílias com carência de habitação em Gaia é “uma realidade que é resultado das políticas do PS e PSD nos seus governos”.

Jerónimo de Sousa sublinhou que o partido não abdica de exigir a quem tem responsabilidades e a respetiva competência institucional para dar resposta aos problemas. Os eleitos da CDU não calam a exigência e a reivindicação do que é devido às populações por parte dos governos e da administração central, mencionou.

O secretário-geral do PCP afirmou ainda “saber bem” que o Governo prefere quem, como os eleitos do PS, “opte por calar e silenciar os incumprimentos e desleixos do seu governo”.

“Não contem com a CDU para isso. Não contem com os eleitos da CDU para se deixarem amordaçar como fazem os do PS para não incomodar o seu governo e a falta de resposta e incumprimentos que este mantém”, vincou.

A eleição de mais candidatos da CDU nas próximas eleições autárquicas é “a garantia”, em cada freguesia e concelho, de um trabalho ao serviço das populações e de uma resposta aos seus problemas, defendeu.

As eleições autárquicas realizam-se dia 26 de setembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.