O porta-voz do Pentágono, John Kirby, elogiou durante uma conferência de imprensa, a capacidade de “resistência” dos ucranianos à invasão russa.

Mas salientou que “não houve mudança na vontade” do Presidente da Rússia, Vladimir Putin, em ocupar a Ucrânia.

“Putin ainda tem um poder de combate significativo à sua disposição. Ainda não transferiu tudo para a Ucrânia”, apontou John Kirby.

Segundo o governo norte-americano, o Kremlin (presidência russa) mobilizou cerca de 200.000 militares na fronteira da Rússia e Bielorrússia com a Ucrânia antes do início da invasão, iniciada na quinta-feira.

John Kirby referiu que a forte resistência dos ucranianos conseguiu atrasar “alguns dias” os planos de Putin, que nesta altura já esperava controlar a capital Kiev.

"Os russos não enfrentaram apenas uma resistência firme e determinada dos ucranianos, mas também os seus próprios problemas logísticos", sublinhou o porta-voz do Pentágono que apelou para que não se “subestime” as capacidades de Moscovo.

Questionado sobre a decisão de Putin em colocar as suas forças nucleares em alerta, Kirby referiu apenas que é “um anúncio desnecessário” e que os Estados Unidos vão analisá-lo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.