O Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, concedeu um indulto por razões humanitárias a Alberto Fujimori, que cumpria uma pena de 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade e corrupção, transferido nas vésperas do Natal da cadeia para uma clínica devido a problemas de saúde.

Alberto Fujimori, de 79 anos, “permanece sob vigilância [e] foi-lhe recomendado repouso absoluto para que possa receber todos os tratamentos para uma recuperação completa”, disse o seu médico aos jornalistas.

Alejandro Aguinaga indicou na sexta-feira que os médicos decidiram realizar uma endoscopia e que Alberto Fujimori foi submetido a subsequentes tratamentos aos problemas de estômago de que sofre.

O ex-presidente peruano foi transferido da prisão para uma clínica da capital, Lima, devido a tensão arterial baixa e arritmia há uma semana. O perdão humanitário foi anunciado pouco depois, suscitando inúmeras críticas tanto no Peru como no estrangeiro.

Milhares de peruanos saíram para a rua nas principais cidades do país em protesto. Contudo, de acordo com uma sondagem do Instituto Ipsos, a amnistia granjeia a aprovação da maioria dos peruanos. Segundo a sondagem, publicada no sábado pelo jornal El Comercio, 56% dos peruanos mostraram-se a favor do indulto concedido a Alberto Fujimori, enquanto 40% contra.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.