"A informação recente sobre a suposta má gestão do Facebook dos dados dos seus utilizadores reforçou a nossa decisão de suspender as nossas atividades na plataforma", explicou a empresa num comunicado.

"Mais de 25 milhões de fãs estão ligados à Playboy através das nossas diferentes páginas do Facebook, e recusamo-nos a ser cúmplices de os expor a estas supostas práticas", explicou o grupo.

"É por isso que anunciamos que deixaremos a plataforma do Facebook, desativando as contas da Playboy, geridas diretamente pela Playboy Enterprises".

"Há anos que é difícil para a Playboy expressar os seus valores no Facebook devido às diretrizes restritas sobre os conteúdos", acrescenta ainda o comunicado. Mas, sublinha a editora, embora o grupo tenha optado por "mudar a voz da Playboy" para dar resposta aos critérios do Facebook, especialmente sobre a nudez, e estar presente na rede, o escândalo recente levou à decisão agora anunciada.

"A Playboy sempre defendeu a liberdade individual e a celebração do sexo. Hoje damos outro passo nesta luta", conclui o comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.