“Todas as pessoas que tinham sido detidas no caso do ataque terrorista de Westminster de 22 de março foram libertadas sem acusação”, escreve a Scotland Yard num comunicado, citado pela France-Presse.

A pessoa libertada hoje é um homem de 30 anos que tinha sido detido em Birmingham (centro), precisou a polícia.

Cinco pessoas morreram, incluindo o atacante, e cerca de cinquenta outras ficaram feridas no atentado perpetrado por Khalid Masood, de 52 anos, na ponte de Westminster e frente ao Parlamento britânico.

O atentado foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), mas a polícia anunciou na segunda-feira não ter “encontrado provas de qualquer ligação” de Masood ao EI ou à Al-Qaeda, ou qualquer prova de que se tivesse radicalizado na prisão.

No entanto, o homem, que se converteu ao Islão, tinha “claramente um interesse na ‘jihad'”, precisou um responsável do combate ao terrorismo na polícia londrina.

Entre 1983 e 2003, Adrian Russell Ajao, também conhecido como Adrian Elms ou como Khalid Masood, foi condenado várias vezes por agressões, posse ilegal de armas e perturbação da ordem pública.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.