O estudo de avaliação sobre a saúde e o ambiente, hoje publicado pela AEA, mostra que, em 2019, Portugal ocupava o sétimo lugar no que respeita à percentagem de zonas de banho com águas balneares de excelente qualidade (91,5%), numa tabela liderada por Chipre (99,1%) e com a Polónia a ocupar o último lugar (21.6%).

De acordo com o relatório da AEA, em toda a Europa, existem na UE 22.295 locais monitorizados pela sua qualidade da água balnear, sendo que, no ano passado, 95% de todos os sítios cumpriam os requisitos mínimos de qualidade estabelecidos na Diretiva da UE relativa às águas balneares, com 84,6 % a alcançar o estatuto de 'excelente'.

Em geral, as águas balneares costeiras são de melhor qualidade do que as dos sítios interiores, tendo aumentado de 79,1% em 2018 para 87,4 %, em 2019.

A AEA alerta ainda para o facto de aA poluição atmosférica continuar a ser a principal ameaça ambiental para a saúde na Europa, com mais de 400. 000 mortes prematuras provocadas pela poluição atmosférica todos os anos na UE.

A poluição sonora surge em segundo lugar, contribuindo para 12 000 mortes prematuras, seguida dos impactos das alterações climáticas, nomeadamente as vagas de calor.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.