“Vai ser um grande candidato e um grande presidente da Comissão Europeia”, disse Casado a Weber no início de uma reunião de eurodeputados conservadores espanhóis em Sevilha, no sul de Espanha.

De seguida, acrescentou que o atual presidente do grupo Popular Europeu terá o apoio do PP espanhol na candidatura do PPE à Comissão Europeia, à qual concorre também o antigo primeiro-ministro da Finlândia Alexandre Stubb.

Casado sublinhou que Weber sempre defendeu com “coragem” os princípios que fizeram avançar a União Europeia “perante as ameaças de populismos e separatismos”, e agradeceu especialmente ter defendido “sempre” a Espanha “da ameaça do independentismo” catalão.

Citado pela agência de notícias espanhola Efe, Weber, antes, tinha dito que “romper a unidade de Espanha era romper a unidade da Europa”.

“Não há uma Europa à ‘La Carte'” e “quem abandona a Espanha, abandona a União Europeia”, advertiu, relativamente às pretensões catalãs.

O presidente do PSD, Rui Rio, cujo partido faz parte do PPE, remeteu para sexta-feira, numa reunião com delegados, a decisão sobre qual o candidato à presidência da Comissão Europeia que será apoiado pelos sociais-democratas.

Os delegados do PSD, com os quais o presidente se reúne na sexta-feira, “vão ter oportunidade de falar (…) com um dos [dos dois] candidatos, Alexander Stubb”, disse Rui Rio no final da reunião da Comissão Política Nacional que se realizou em Santarém, na semana passada.

“Depois disso estaremos em condições de dizer qual dos candidatos é que o PSD apoia no congresso de Helsínquia”, acrescentou Rui Rio.

Na corrida à sucessão a Jean-Claude Juncker estão o alemão Manfred Weber, atual líder do grupo parlamentar do PPE, e Alexander Stubb, o antigo primeiro-ministro finlandês, os únicos candidatos da maior família política europeia à presidência da Comissão Europeia.

O presidente do PSD disse ainda já ter tido “oportunidade de falar com os dois” candidatos do PPE à presidência da Comissão Europeia, que será escolhido pelos delegados do partido no Congresso de Helsínquia, que decorre entre 07 e 08 de novembro.

O presidente da Comissão é eleito pelo Parlamento Europeu sob proposta do Conselho Europeu – chefes de Estado e de Governo da União Europeia -, tendo em conta os resultados das eleições europeias, o que já sucedeu em 2014, quando o PPE, que apresentou como candidato Jean-Claude Juncker, foi o partido mais votado a nível europeu.

Antes, o Parlamento já tinha que dar o seu aval ao nome proposto pelo Conselho Europeu, mas este era escolhido pelos líderes europeus, tendo Durão Barroso sido o último presidente do executivo comunitário (2004-2014) a ser designado sem recurso ao método do “Spitzenkandidaten”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.