Em comunicado enviado às redações, a Proteção Civil alerta para "um agravamento das condições meteorológicas" nas próximas 48 horas para os distritos de Aveiro, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Porto, Viana do Castelo e Viseu.

As previsões são de "períodos de chuva, temporariamente intensa a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela até final da manhã, tornando-se forte e persistente a partir do final da tarde".

Há "condições favoráveis à ocorrência de trovoadas e rajadas fortes", assim como a "possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela durante a madrugada".

Prevê-se ainda "vento moderado a forte (30 a 45 km/h) a partir do final tarde, por vezes com rajadas até 85 km/h, em especial na região Centro". As rajadas podem no entanto chegar aos 120 km/h nas terras altas.

Assim, alerta a Proteção Civil para a "possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos de vento nas regiões mencionadas, em particular no litoral".

De referir ainda o "aumento da agitação marítima na costa ocidental a norte do cabo Raso, com ondulação acima de 4 metros de altura significativa".

Há assim "possibilidade de inundações em locais historicamente vulneráveis".

Face ao agravamento do estado do tempo nestes distritos são expectáveis os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências
    dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Possíveis acidentes na orla costeira;

Neste sentido, a Proteção Civil deixa um conjunto de recomendações, sendo elas:

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Proceder à colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.