Fonte da IP disse à agência Lusa que no local, próximo da estação do Ferrão, concelho de Sabrosa, estão técnicos especializados em trabalhos em altura a fazer a verificação das pedras soltas e a consolidação da barreira que, pela sua complexidade, não puderam ser executados no período noturno.

A empresa não avança, para já, com previsões de reabertura da linha neste troço entre o Peso da Régua e o Pinhão, estando assegurado o transbordo rodoviário entre as duas estações. Do Pinhão até ao Pocinho os passageiros prosseguem a viagem de comboio.

Pelas 08:20 de terça-feira, um comboio de passageiros, do operador CP, descarrilou parcialmente na linha do Douro, entre as estações do Pinhão e Covelinhas, não se tendo registado feridos entre os cerca de 30 passageiros que seguiam a bordo.

Na origem da ocorrência esteve a queda de pedras sobre a via-férrea, decorrente das intempéries que se têm feito sentir nas últimas semanas.

Durante o dia de terça-feira foram realizados os trabalhos de carrilamento do comboio, com a ajuda de uma composição de emergência enviada para o local.

Depois, foram removidas as pedras que caíram sobre a linha, algumas das quais de grande dimensão.

A IP disse que “não se registaram danos na infraestrutura ferroviária”, no entanto, ressalvou que a normalização da circulação ferroviária só poderá acontecer “quando estiverem garantidos todos os requisitos de segurança”.

Por dia são efetuadas 10 viagens entre as estações de Peso da Régua e Pocinho, cinco em cada sentido.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.