"Hoje é um dia histórico para o nosso país. Finalmente o legislador reconheceu na lei a dignidade e o respeito que é devido pela vida animal", disse Inês Sousa Real em declarações à agência Lusa.

A Assembleia da República aprovou hoje por unanimidade o novo estatuto jurídico dos animais, autonomizados face a pessoas e coisas, uma decisão celebrada pelo deputado único do PAN com palmas de pé, acompanhado pelo BE e alguns parlamentares do PS.

O texto final da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, com contribuições iniciais de PAN, PSD, PS e BE, foi aprovado por todas as bancadas.

Segundo Inês Sousa Real, este era "um passo muito há muito reclamado".

"Lamento apenas que [as forças políticas] não tenham acompanhado também a necessidade de alteração da lei que criminaliza os maus tratos, mas estou em crer que isso acontecerá mais tarde ou mais cedo", adiantou a responsável.

Os projetos de lei de PS, BE e PAN sobre o regime sancionatório aplicável aos maus-tratos e até mortes de animais foram todos rejeitados por votos contrários de PSD, CDS-PP e PCP. A iniciativa do PS teve votos a favor de socialistas, bloquistas, ecologistas e do PAN.

O projeto de lei do BE também foi chumbado por sociais-democratas, democratas-cristãos e comunistas, com a abstenção do PS e votos a favor de BE, PEV, PAN e nove deputados socialistas (Pedro Delgado Alves, Carla Sousa, Luís Graça, Odete João, Tiago Barbosa Ribeiro, Pinotes Batista, Bacelar Vasconcelos e Joaquim Raposo).

A iniciativa do PAN sobre o mesmo assunto obteve a mesma votação, saindo prejudicada, com a única diferença a ser protagonizada por "Os Verdes", que se abstiveram ao lado do PS.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.