"A proposta que o Governo apresentou ao parlamento contempla uma flagrante injustiça e um descarado eleitoralismo", avisou Luís Montenegro, líder parlamentar dos sociais-democratas, em conferência de imprensa onde apresentou as propostas de alteração do partido ao OE.

Ao "deixar de fora da atualização extraordinária" as pensões mais baixas, o Governo comete uma injustiça, mesmo que, de acordo com algumas notícias dos últimos dias, pareça haver um "caminhar" do executivo e dos partidos à esquerda "no sentido de reconhecer essa injustiça".

"O aumento extraordinário das pensões deve ser igual para todos os pensionistas que têm pensões inferiores a 628 euros, e é isso que propomos", vinca Montenegro, que critica também o Governo por pretender implementar este aumento extraordinário apenas em agosto.

"Qual a razão para que aumento se opere em agosto de 2017, a 30, 40 ou 50 dias da realização das eleições autárquicas? Se o Governo tem disponibilidade financeira para promover o aumento extraordinário destas pensões, deve fazê-lo a partir do dia 01 de janeiro", advogou.

A proposta do PSD de alteração ao Orçamento nesta matéria passa portanto, precisou Montenegro, por "olhar para a disponibilidade financeira" neste campo "e distribui-la ao longo de 12 meses e de forma equitativa por todos os pensionistas com pensões inferiores a 628 euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.