“O abastecimento de água às cidades de Maputo, Matola e à vila de Boane vai ser reduzido até 20%”, anunciou a empresa Águas da Região de Maputo (AdeM), em comunicado.

A água passará a ser disponibilizada de forma “intermitente”, de maneira a que “todos os bairros possam ter um pouco de água disponível para consumo”, acrescentou.

Ainda segundo a empresa, as obras de reposição das condutas cortadas começaram hoje e devem estar concluídas no prazo máximo de 10 dias.

Parte da ponte metálica sobre o rio Umbelúzi caiu durante a madrugada, arrastando as duas condutas que suportava e que ligavam à Estação de Tratamento de Água de Umbelúzi.

João Machatine, ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, apelou à população para tomar medidas de “austeridade e uso racional da água”, de modo a minimizar o impacto das restrições.

“Acreditamos que com a combinação de esforços, nomeadamente o uso racional da água e os esforços que estão a ser feitos para mitigar o impacto negativo das restrições, repondo a infraestrutura o mais rápido possível, poderemos evitar o pior no que diz respeito à escassez de água”, concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.