Em comunicado, a AIU confirma que a substância foi detetada numa amostra de urina recolhida em 27 de novembro de 2017 e confirmada na contra-análise, acrescentando que o atleta já foi processado por violação das regras antidoping da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

A AIU rejeita as acusações que o atleta, campeão olímpico em Pequim2008 e campeão mundial em 2011, 2013 e 2015, tem feito alegando irregularidades nos controlos antidoping.

O organismo assegura que “não houve mistura nem falsificação da amostra” e nega ter violado qualquer confidencialidade do processo, como invoca o atleta.

Na quinta-feira, Asbel Kiprop fez várias acusações ao processo de recolha e disse que as duas pessoas encarregadas de recolherem as amostras de lhe tinham tentado extorquir dinheiro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.