Uma antiga juíza do Tribunal Superior do Quebeque, Anne-Marie Trahan, vai examinar os arquivos da Igreja Católica para investigar “o número e a natureza das alegações de abusos sexuais cometidos pelos seus membros desde 1950 até à atualidade”, informa um comunicado hoje divulgado.

Por proposta do arcebispo de Montreal, "inspirada por iniciativas mundiais do mesmo tipo", cinco dioceses do Quebeque concordaram em participar nesta auditoria para "fazer luz sobre as ações do passado".

"Queremos dar prioridade à transparência e chegar ao fundo na busca pela verdade", disse o bispo Christian Lépine, arcebispo de Montreal, citado no comunicado.

A Igreja Católica prometeu total cooperação nesta investigação, que resultará num relatório público. A auditoria começará em setembro deste ano e deverá durar entre 18 e 24 meses.

A Igreja Católica está atualmente em tumulto após revelações sucessivas de casos de pedofilia cometidos durante décadas por membros da Igreja Católica e muitas vezes encobertos pela hierarquia.

Estes escândalos atingem o topo da hierarquia católica, como é o caso recente de condenação a seis anos de prisão do cardeal australiano George Pell, número três do Vaticano pelo abuso sexual de dois menores, crimes que ele nega.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.