O anúncio foi feito pelo presidente da Comissão de Trabalhadores da Assembleia Constituinte (AC, composta unicamente por simpatizantes do regime), sem precisar em que data entrará em vigor o aumento do salário e do subsídio de alimentação dos venezuelanos.

Além do salário mínimo, o subsídio de alimentação também vai ser aumentado, passando dos atuais 25 mil BsS para 150 mil BsS.

Com este aumento, os venezuelanos passam a ter um “salário mínimo integral” (salário mais subsídios) de 600 mil BsS (27,51 euros contra os 65 mil BsS (2,98 euros) que recebiam, na totalidade, desde o passado mês de maio.

Segundo dados do parlamento venezuelano, entre janeiro e setembro de 2019, a Venezuela registou uma inflação de 486,7%.

Na Venezuela um quilograma de farinha de milho pré-cozido custa 30 mil BsS, uma embalagem de 900 gramas de leite em pó é vendida a 192 mil BsS, um pão tipo baguete fica por 21 mil BsS e um pacote de margarina por 40 mil BsS.

Relativamente a outros bens de primeira necessidade, um quilograma de batatas custa 20 mil BsS, um quilograma de carne de vaca é vendido a 80 mil BsS e uma embalagem de 900 gramas de detergente em pó fica por 48 mil BsS.

O preço mínimo (da distância mais curta) de um bilhete de autocarro, ida e volta, é de 4 mil BsS, mas as empresas de transportes estão a exigir que seja fixado um aumento para 10 mil BsS.

A assinatura mensal da televisão por cabo custa 30 mil BsS, mas este valor pode subir em função do pacote pretendido.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.