No dia 12 de março, o governo anunciou o fecho das escolas com efeitos a partir de dia 16 de março e, nos três dias que mediaram as duas datas, a maior parte das famílias e das empresas preparou-se para o que se seguiria.

Os primeiros dias foram uma espécie de estado de interrogação contínuo. E agora como é que os miúdos vão estudar? E agora como é que fazemos para não faltar comida em casa? E agora como é que vou visitar os meus pais? E agora como é que faço a reunião que me falta do projeto que tenho em mãos? E agora?

Passadas cinco semanas, quase que conseguimos dizer “até foi fácil”. Não foi nada – foi difícil, foi tumultuoso, foi cheio de dúvidas. Muitas dúvidas continuam e outras se antecipam, mas a verdade é que a tão proclamada capacidade de adaptação dos portugueses – é uma das razões pelas quais também somos conhecidos por ser “early adopters” de novas tecnologias – funcionou a nosso favor nesta crise que estamos a viver. É um paradoxo que o país que os estudos dizem ser avesso à mudança (ou temer a mudança, o que é provavelmente uma herança histórica) seja, simultaneamente, um país que “quando tem de ser” se adapte com relativa facilidade.

Nada disto significa que as dúvidas tenham desaparecido ou que os sobressaltos tenham sido ultrapassados. Para o país que “apenas” teve de ir para casa, isso é mais ou menos verdade. As rotinas refizeram-se, o teletrabalho, a teleaula, e a telefamília instalou-se. Compra-se mais online, vai-se ao supermercado de luvas e muitos já de máscara, descobrem-se formas de entretenimento, novas ou velhas. Este é o país das pessoas que, a esta altura, não têm o sobressalto de ter uma empresa parada e não saberem como pagar ordenados e fornecedores e o país das pessoas que não trabalham numa empresa nessas condições.

Mas, este é também o país em que cerca de um milhão de pessoas está em lay-off. E estes são os grandes números, não refletem a realidade das milhares de micro empresas que existem em Portugal, muitas delas negócios como restaurantes ou cabeleireiros, que vivem de ter a porta aberta ao público. E que estão de porta fechada, há um mês – e para continuar.

As boas notícias é que aquilo que coletivamente estamos a fazer, com todos os sobressaltos, parece estar a dar resultados. É cedo para ter qualquer verdade como garantida, mas o facto de os números que diariamente nos chegam das autoridades de saúde sobre pessoas infetadas e mortes resultantes de covid-19 sugerirem um aumento controlado, de alguma forma, tranquiliza. Mais uma vez, o país não vive de forma igual. A tranquilidade dos números “em geral” serve de pouco a quem vive em alguns dos concelhos mais afetados, como foi o caso de Ovar. Ou mesmo de Aveiro ou do Porto.

As diferenças que decorrem da nossa situação profissional ou do sítio onde vivemos contam, quer em termos nacionais, quer em termos internacionais. Essa é uma das premissas que assumimos no SAPO24 na reformulação que fizemos do nosso site de forma a que a informação que diariamente levamos a até si seja útil, relevante e ajude a ultrapassar o momento que vivemos e a preparar os tempos futuros.

Foi com esse objetivo que nas últimas quatro semanas fizemos um conjunto de mudanças, definindo novas áreas-âncora que ajudam a navegar não apenas no site, mas sobretudo no tema que domina toda a atualidade e que é a pandemia de covid-19. Mudanças enquadradas num conjunto de opções editoriais que decorrem das regras que definimos  para o trabalho que fazemos diariamente. Foi também o mês em que mais pessoas escolheram o SAPO24 como fonte de informação – no total do mês de março registámos 17,8 milhões de visitas e quase 50 milhões de visualizações, sendo que o conteúdo mais vezes consultado foi precisamente a homepage do SAPO24 com o redesenho que foi feito para disponibilizar o acesso mais simples e intuitivo à informação que todos os dias nos chega.

Como está então organizado o SAPO24? Estas são as principais áreas:

  • O que precisa de saber em Portugal e no Mundo, onde pode aceder a cada hora às notícias de atualidade mais relevantes
  • Retrato da pandemia da China à América, uma seleção do que mais relevante acontece nos vários países
  • Como viver em estado de emergência, uma área onde é agrupada a informação sobre as mudanças, conselhos, recomendações e experiências que decorrem das limitações ao abrigo do estado de emergência
  • É útil saber, como o nome indica trata-se do espaço onde pode encontrar as informações de caráter útil, desde eventos cancelados à forma como pode aceder aos apoios previstos pela lei
  • Acho que vais gostar disto, uma nova área – com uma newsletter enviada duas vezes por semana – dedicada exclusivamente a sugestões de séries, filmes, livros, eventos (por agora online), tudo o que nos possa distrair, entreter e ajudar a pensar
  • Vamos falar sobre isto, um espaço de conversas mais do que entrevistas sobre temas tão diversos quanto as vacinas para o covid-19 por que todos ansiamos aos conselhos sobre como apreciar um bom vinho
  • Empresas e emprego, um espaço inteiramente dedicado a olhar para o tema que cada vez ganha mais espaço e que é de como vamos salvar a economia; aqui tem informação sobre os apoios que os vários governos estão a deliberar, as opções políticas, a situação das empresas e as histórias que espelham as dificuldades e a forma de as superar. Sendo um tema que consideramos chave, a newsletter do SAPO24, uma das âncoras do site é agora inteiramente dedicada a esta área
  • Por Aqui, um espaço de conversa com os leitores, em modo live blog, que todos os dias tem a síntese das informações mais relevantes do dia acompanhadas de sugestões sobre o que pode ver e fazer

Adicionalmente, estamos a produzir um conjunto de conteúdos que visam ajudar a clarificar temas essenciais, para permitir um debate informado, tornar acessível um conjunto de informações úteis e prestar especial atenção às várias realidades locais:

Nos próximos dias, lançamos novas iniciativas:

  • No dia 25 de abril, lançamos a rubrica "Regresso a um mundo novo" em parceria com a plataforma 100 Oportunidades da qual irá resultar a publicação de um texto por dia ao longo de 30 dias. 100 Oportunidades é uma iniciativa do Global Shapers Lisbon que traz para a linha da frente jovens até aos 30 anos, das mais diversas áreas de conhecimento e profissionais.
  • Na véspera, dia 24 de abril, lançamos um programa semanal com Samuel Úria em que se falará de música, mas não só. Será emitido no Instagram do SAPO24 e terá conteúdo associado no site.
  • Vamos reforçar a nossa cobertura sobre o caminho de regresso à vida lá fora com um olhar atento às empresas, aos empregos e à vida em cada comunidade. Começando pela comunidade: o mapa com a informação concelho a concelho, lançado para espelhar localmente os dados das autoridades de saúde, é também agora o espaço onde se encontram notícias e informações úteis para a vida de quem lá vive. Diariamente encontra tudo aqui.

Por isso, se tem uma empresa ou negócio e a sua história pode ajudar outros a encontrar soluções ou se está a colaborar em projetos na sua terra para acorrer às questões levantadas pela pandemia - não deixe de nos contar. O seu relato é importante no quadro das soluções que estão a ser pensadas nas diversas áreas, da saúde à educação, da economia à cultura. Fale connosco através do email 24@sapo.pt e conte-nos a sua história, esteja em Portugal, ou no Brasil, em França, em Inglaterra, na Suíça, nos Estados Unidos, para citar apenas alguns dos locais onde já registamos um número significativo de leitores.

Vamos sair disto juntos e o nosso compromisso é contribuir para que esse seja um objetivo alcançado, a cada dia, com a informação que precisa para formar a sua opinião, decidir e viver melhor.

Nós, continuamos por aqui, por enquanto no espaço de redação construído nestas semanas, casa a casa.

Obrigada por nos acompanhar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.